Curiosidades, Dicas

Afinal, o que é Ergonomia e como atender à NR-17?

16 abr , 2018  

Ergonomia é um tema que existe há séculos, porém ainda hoje, é um assunto que muito se fala, mas pouco se entende. São várias normas e exigências, mas fique tranquilo, a gente descomplica para você!

Apresentando de forma bastante resumida, a ergonomia estuda formas de adequação do ambiente de trabalho em benefício do trabalhador e a partir desse estudo são criadas regras para garantir condições ideais de trabalho. E é por tratar de uma questão tão importante quanto o trabalho que essas regras ganham tanta visibilidade.

As pessoas passam 1/3 do dia trabalhando, nada mais justo que o ambiente de trabalho apresente condições adequadas para manter a saúde física e mental de todos.

Para algumas pessoas pode parecer que são apenas algumas horas e que mudar a altura do encosto da cadeira não influencia no bem estar, mas as pesquisas mostram justamente o contrário. Especialistas alertam, por exemplo, que 20% das doenças ligadas ao trabalho são problemas relacionados à coluna. Agora, quando as normas são cumpridas o benefício é sentido pelo trabalhador que cuida da sua saúde, mas também pela empresa que terá menos gastos com benefícios, menos faltas, processos e mais produtividade e motivação.

Para a Professora e Coordenadora de Educação Física da PUC-Rio e especialista em Ergonomia, Jocinéia Santos:

“Além de todos os benefícios físicos, psicológicos e financeiros, a Ergonomia é capaz de beneficiar as relações interpessoais, uma vez que propicia um ambiente de trabalho confortável.”

Agora que você já sabe que tem muitas vantagens em seguir as regras de ergonomia, confira as informações que separamos, seja você empresário, gestor ou colaborador.

Vamos lá!

O que é ergonomia:

Segundo a definição da IEA (Associação Internacional de Ergonomia) ergonomia é: “A disciplina científica relacionada ao entendimento das interações entre seres humanos e outros elementos de um sistema.” (2010). O objetivo da ergonomia é desenvolver e aplicar técnicas de adaptação do homem ao seu trabalho de forma eficiente e segura, proporcionando mais conforto durante a jornada de trabalho.

Com o passar do tempo o tema foi se desenvolvendo e os estudos começaram a abranger não só a disposição dos móveis e arranjos físicos do local de trabalho, mas também tantos outros aspectos que podem interferir no ambiente como: barulho, temperatura, vibrações e iluminação. As mudanças ocorrem seguindo o avanço das pesquisas e pensando no contexto moderno de trabalho. Uma grande preocupação na atualidade seria o home office.

Na prática as regras sempre atentam para questões de uso – quem deve usar cada item, onde implementar, de que forma, etc.

Quem precisa adotar as regras de ergonomia:

A lei federal 6.514/77 e a portaria 3214/78, determinam que as Normas Regulamentadoras relativas à segurança e medicina do trabalho valem para empresas privadas e públicas, além de órgãos públicos que possuam empregados regidos pela CLT, ou seja, praticamente todas as empresas que admitam funcionários como empregados.

Embora no Brasil ainda seja um assunto pouco discutido, as empresas e órgãos podem recorrer a profissionais como médicos, fisioterapeutas, educadores físicos, engenheiros e administradores de empresa que tenham feito especialização em ergonomia e contar com consultoria para adequar seus espaços e práticas.

Quais as normas que se aplicam a Ergonomia:

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) determinou as seguintes normas reguladoras para o assunto: NR 17 Ergonomia; NR 18 – que dispõe sobre condições e meio ambiente de trabalho na Indústria e Construção; NR 24 – sobre instalações sanitárias e de conforto no ambiente de trabalho; e NBR- 13.962 – que fala sobre requisitos de móveis para escritório e cadeiras.

A NR – 17 é o conjunto de normas que regulamenta a utilização de materiais e mobiliário ergonômico, condições ambientais, jornada de trabalho, pausas, folgas e normas de produção no Brasil. Por ser a norma mais utilizada vamos tratar dela abaixo com mais detalhes.

Se você quiser se aprofundar no assunto e conhecer melhor também as outras normas, pode acessar nosso guia completo: Normas ABNT para mobiliário e ambiente de trabalho

Como atender à NR 17

A norma regulamentadora 17 trata sobre regras de iluminação, mobiliário, ruídos e condições sanitárias, entre várias outras. Nesse contexto, é preciso atentar-se para a disponibilidade de ajustes no mobiliário, cadeiras e acessórios para atender à altura e às características de cada funcionário. Além da iluminação adequada é necessário um mobiliário opaco, evitando o reflexo da luz no móvel.

A fiscalização da NR 17 é feita pela Delegacia Regional do Trabalho. No caso de a organização não atender à norma, estará sujeita a notificação, multa e até interdição.

Quais itens do mobiliário devem ser considerados:

Todos os itens de uso por profissionais por um período de de 8 horas diárias ou mais. Dos quais se destacam cadeiras e mesas de escritório.

Para as cadeiras serem consideradas ergonômicas precisam ter os seguintes ajustes:

a) altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida;
b) características de pouca ou nenhuma conformação na base do assento;
c) borda frontal arredondada;
d) encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região
lombar.

No caso das mesas, a atenção precisa estar voltada para:

  • Ter uma boa altura – para o funcionário poder se acomodar confortavelmente.
  • Ter apoio para o monitor, para que o mesmo fique na altura da visão do usuário (mesma distância entre olho-computador, olho-documento e olho-teclado, evitando desgaste e movimentos repetitivos do pescoço.
  • Embaixo da mesa ter um apoio de pés, para o funcionário esticar as pernas e/ou manter as pernas niveladas para evitar dores posteriores.
  • Na mesa os acessórios também precisam ser adequados: mousepad com apoio para o punho e apoio para teclado ajustável.

Também é importante passar aos funcionários essas informações e alertar sobre sobre a postura correta e necessidade de pausas. A empresa pode promover horários para alongamentos  e ginástica laboral.

Os resultados dessas ações são motivação, saúde e produtividade, além de uma valorização da empresa, como explicou no 2º Protege – Seminário de Saúde e Segurança do Trabalho, o mestre em ergonomia, Remi Lopes: 

“Trabalho é estar identificado com o que gosta para que não seja algo ruim, mas prazeroso. Além de não gerar problemas de saúde, quando a ergonomia é aplicada ao trabalho, as pessoas valorizam a empresa, há autoestima, desenvolvimento, crescimento e produtividade. Os trabalhadores se orgulham de fazer parte daquela empresa.”

Pronto, com essas informações em mãos você já pode analisar seu espaço para fazer as mudanças necessárias e promover um ótimo ambiente de trabalho com muito conforto!

Ainda ficou com dúvidas? Comenta aqui ou envia um e-mail que a gente te ajuda 😉

 

Enviar e-mail

Acesse www.solinemoveis.com.br e conheça nosso catálogo de móveis para escritório!

 

Referências:

http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR17.pdf

http://www.sesimt.org.br/mostra.php?noticia=11643

http://www.mundorh.com.br/ergonomia-gera-maior-produtividade-no-trabalho/

http://jornaldapuc.vrc.puc-rio.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=5507&sid=54

http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/ergonomia/

By


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *